14 Jan 2020 _ Terça-Feira _ 19:30
Casa da Música – Sala 2

Victor Pereira Clarinete

Worten Digitópia Electrónica

Gérard Grisey Charme

Hugo Vasco Reis Dimensions I

João Pedro Oliveira Time Spell

Pierre Boulez Dialogues de l’ombre double

O título Dialogues de l’ombre double é retirado da peça teatral Le Soulier de Satin de Paul Claudel, um drama que conta a história de um amor impossível e explora os diálogos entre personagens terrestres e celestiais. A peça foi escrita em 1985 por Pierre Boulez, por ocasião do sexagésimo aniversário de outro grande compositor, Luciano Berio, e é aqui apresentada na sua versão original para clarinete e fita magnética. Igualmente de França chega-nos uma obra de juventude de Gérard Grisey que inclui excertos com sons multifónicos – dois sons simultâneos produzidos por um único instrumento de sopro. Hugo Vasco Reis e João Pedro Oliveira, figuras destacadas da composição nacional, exploram também os diálogos entre a música instrumental e a electrónica.

Disponível em:

Cd Baby:    https://store.cdbaby.com/cd/victorpereira

Spotify:     https://open.spotify.com/album/4nFclN86MEB39pg9EQFI1K

Para obter o CD físico por favor clique aqui

MO(VI)MENTOS

Percorrido o caminho, ou parte dele, chego a este Movimentos, conjunto de momentos singulares que me apaixonam e que me desafiam. Sendo o primeiro trabalho a solo, quis que fosse um retrato da minha jornada profissional. Não é uma meta, apenas uma etapa.

Este disco reúne uma diversidade de correntes de escrita (composição) e de concepções estéticas que escolhi, porque representam momentos significativos do meu percurso e o meu interesse na criação e divulgação musical de novas peças, algo com que me identifico. Quis que fosse exclusivamente música portuguesa, pelo papel relevante que tem tido no meu percurso enquanto músico. São estas obras, pelo movimento intrínseco, pelo gesto que sinto e que me faz identificar com cada uma, isso é fundamental para a minha entrega. Outras há que podiam estar nesta seleção e que ficaram adiadas para um próximo trabalho, afinal, para lá do horizonte continua o caminho.

A obra nasce do empenho de muitos a quem estou grato. Ao Carlos Lopes por todo o trabalho áudio, ao Adriano Carvalho pela parte gráfica, a todos os compositores – Alexandre Delgado, António Pinho Vargas, Daniel Moreira, Jorge Prendas, Luís Carvalho, Nuno Peixoto Pinho, Paulo Jorge Ferreira – pela colaboração. Uma palavra também para a Fundação GDA, à Buffet Crampon e à Vandoren pelo apoio e à Casa da Música pela cedência do espaço de gravação.